9.11.05

LIBERDADE

Ai que prazer
Não cumprir um dever,
Ter um livro para ler
E não o fazer!
Ler é maçada,
Estudar é nada.
O sol doira
Sem literatura.

O rio corre, bem ou mal,
Sem edição original.
E a brisa, essa,
De tão naturalmente matinal,
Como tem tempo não tem pressa...

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto é melhor, quando há bruma,
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol, que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

O mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças
Nem consta que tivesse biblioteca...

Fernando Pessoa

4 Comments:

Blogger badger said...

Grande Fernando Pessoa....

Muito bom!

8:43 AM  
Blogger A.na said...

Eu...como sem tempo,
tenho pressa.
de amantes da poesia...
pressa...de vida!

8:52 PM  
Blogger Å®t_Øf_£övë said...

Vim conhecer este teu espaço, dado que tenho andado muito ocupado e ainda não tinha tido oportunidade de o fazer.
Confesso que encontrei um lugar muito especial e com um conteudo muito rico.
PARABÉNS!!!
Bom fds.

5:27 PM  
Anonymous Anonymous said...

What a great site
»

2:24 AM  

Post a Comment

<< Home